Siga nossas redes

      
selo_final_Prancheta 4.png


Distensão muscular não é somente ?privilégio? de atletas

A distensão muscular pode acontecer com qualquer pessoa, em qualquer lugar, durante a realização de tarefas rotineiras

Folha do Oeste

Conforme explica o profissional de educação física do Sesc, Jaison Karal a distensão muscular é o rompimento de fibras musculares e vasos sanguíneos que irrigam o músculo, ocasionando hematoma e inflamação local. Conforme ele, distensões ao contrário do que se imagina, não acontecem somente com atletas competidores. “Pode ocorrer no dia a dia, na realização de tarefas diárias com qualquer pessoa”.
Jaison destaca que uma distensão pode ocorrer em qualquer situação desde a prática de exercícios físicos e até mesmo na realização de atividades diárias. “O risco de sofrer distensões aumenta em algumas situações como a falta de condicionamento para realização dos exercícios, execução incorreta, falta de aquecimento, cansaço muscular e até excesso de peso corporal”.

SINTOMAS

Conforme o profissional, dores localizadas, hematomas (mancha roxa), inchaço e dificuldade para movimentar o músculo lesado são os sintomas típicos das distensões musculares. “Quanto maior for a distensão muscular maior será a gravidade do quadro”, comenta.

DIAGNÓSTICO

Além da avaliação clínica da região afetada pela distensão muscular, radiografia, ressonância magnética e eletromiograma são exames de imagem importantes para estabelecer o diagnóstico diferencial e orientar o tratamento.

TRATAMENTO

“Dependendo do quadro apresentado na lesão o próprio organismo repara as fibras e absorve o coagulo formado na lesão”, ressalta Jaison. Algumas medidas são importantes para o tratamento, aplicação de gelo no local, repouso, elevação do membro, utilização de medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos sob orientação médica. “Além disso é importante suspender a realização de exercícios que utilizem o músculo para realizá-los”.

RECOMENDAÇÕES

* Aplique gelo no local da lesão imediatamente. O frio diminui a sensibilidade à dor, o inchaço, o sangramento interno e o processo inflamatório. Repita a operação a cada duas horas até desaparecerem os sintomas;
* Proteja o músculo lesado com uma faixa para comprimir a área e evitar que o inchaço e o sangramento interno aumentem;
* Evite atividades que aumentem a dor, mas não fique completamente parado. Use o bom senso: os limites para a atividade são a dor e o inchaço. Doeu ou inchou, parou;
* Mantenha o membro em que ocorreu a distensão em posição mais alta do que o coração;
* Recorra ao uso de analgésicos e dos anti-inflamatórios para aliviar a dor. No entanto, os anti-inflamatórios não devem ser empregados por mais de três ou quatro dias e sem orientação médica.

selo_final_Prancheta 26.png
Mais lidas do dia

LEIA TAMBÉM

EDITORIAS

Rua Duque de Caxias, 1302, Centro. São Miguel do Oeste – SC. CEP: 89900-000 Telefone: (49) 3621-1244

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina