Siga nossas redes

      
selo_final_Prancheta 4.png


VIAGEM

Um paraíso chamado Maceió

Folha do Oeste
VIAGEM 1 - 09-02-16.jpg
Foto: Divulgação

Quer experimentar as delícias da capital alagoana? Deixe-se levar pela brisa de um dos lugares mais bonitos do Brasil

Paraíso. Esta é a definição de quem visita Maceió, uma cidade clara, aberta, iluminada pelo sol e embalada pelo vento. E tem ainda os coqueirais; há quem diga que existem nada menos que seiscentos mil coqueiros que balançam ao sabor da brisa. Paisagem maravilhosa.

Maceió é a capital do estado de Alagoas. O verde contagiante dos coqueiros que dominam toda a orla praiana pode ser apreciado de longe em uma das jangadas de velas coloridas que levam o visitante às famosas piscinas naturais formadas na praia da Pajuçara. Museus, teatros, igrejas, bairros históricos, artesanatos e gastronomia diversificada completam esse cenário inesquecível.

Maceió, cidade com 40 quilômetros de litoral e 22 quilômetros de lagoa e canais, desperta paixão pelas belezas naturais, culturais e históricas.

Belíssimas praias de mar que têm tonalidades que oscilam entre azul e verde, com piscinas naturais a apenas dois quilômetros da costa. Praias emolduradas por coqueirais, um realce à ornamentação natural das paisagens. O coqueiro é expressivo na cultura e na história de Alagoas. Contribui com o desenvolvimento econômico, faz parte da culinária típica, tem representatividade no artesanato e na tradição popular.

Maceió passou a ser capital de Alagoas em 1839. A população atual oscila entre um milhão de habitantes; ocupa uma área de 511 mil quilômetros quadrados e uma temperatura média de 26 graus centígrados. O sol, a brisa e a temperatura ideal são os ingredientes que explicam a vontade que dá de se largar na areia, ou numa rede, e nunca mais sair de lá.

A história de Maceió começou com um engenho de cana de açúcar, no século XVIII, que tinha o nome de Maçai-ok, daí originou-se o nome da cidade atualmente.

Os revitalizados bairros de Jaraguá e Centro preservam um conjunto arquitetônico, acervos e originalidade de uma época, os quais retratam a história da cidade.

Jaraguá, tombado pelo Patrimônio Histórico e Arquitetônico de Alagoas, representa o berço da história e desenvolvimento de Maceió. O cenário conserva a imponência de uma época através de seus armazéns, casario e igrejas. É um bucólico bairro que nos faz viajar no tempo.

O potencial cultural, representado nas manifestações folclóricas, diversificado artesanato, excelente rede hoteleira, restaurantes nacionais e internacionais, Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, Centro Cultural e de Exposições, e o Porto de Jaraguá, associados aos serviços de qualidade, fazem parte da infraestrutura turística que satisfaz as expectativas de quem visita Maceió.

Maceió tem o Pontal da Barra, bairro que abriga uma comunidade de pescadores e artesãos às margens da Lagoa Mundaú. Bom de ver e de comprar é o artesanato, exposto nas portas das casas; é confeccionado pelas rendeiras que tecem o Filé, renda tipicamente alagoana e ocupa importante posição na economia da comunidade. As mulheres locais encantam pela destreza com que manuseiam as agulhas e linhas e o resultado final são peças de utilidade, decoração e vestuário. Só tem em Maceió.

Na Lagoa Mundaú os pescadores retiram o sururu, um molusco que se destaca na gastronomia alagoana. Para quem gosta, uma delícia de sabor. O local é ideal para passeios de barcos, que entre ilhas navegam indo em direção ao encontro com o mar.

Bom passeio é navegar nas jangadas de velas coloridas e alcançar as piscinas naturais, formadas pelos recifes de corais da Praia de Pajuçara; de barco se chega à Lagoa Mandaú e Manguaba, navegando entre ilhas e canais e também ao mar.

Como dito anteriormente, não deixe de conhecer o Pontal da Barra, bucólico bairro à margem da Lagoa Mundaú, onde as rendeiras tecem o filé, renda de origem portuguesa tipicamente alagoana.

Do Mirante de São Gonçalo se pode ver todinha a enseada de Jaraguá até o Pontal.

Bom, e a culinária? As delícias regionais são imperdíveis, sendo que a mais popular é a tapioca, que pode ser degustada no café da manhã dos badalados hotéis e nas inúmeras barracas que comercializam a iguaria, todas igualmente deliciosas.

Os restaurantes são um capítulo à parte. Eles servem pratos típicos, mas também oferecem cardápios da cozinha nacional e internacional. Para todos os gostos e bolsos.

O artesanato em Maceió é fonte de renda e movimenta a economia da região. Além da renda Filé, o povo alagoano é muito criativo e são inúmeros os objetos confeccionados em coco, madeira, palha, bordados, cerâmica, tudo exposto na imperdível Feira da Pajuçara. Tem ainda o Pavilhão do Artesanato, onde são exibidas verdadeiras obras de arte.

Maceió oferece excelente infraestrutura hoteleira e a vida noturna é bastante agitada. Quem já foi quer voltar. Se você ficou com vontade de passar alguns dias neste paraíso, fale com uma agência de viagens e desfrute das vantagens oferecidas pelos pacotes disponíveis. 

Imagens

selo_final_Prancheta 26.png
Mais lidas do dia

EDITORIAS

Rua Duque de Caxias, 1302, Centro. São Miguel do Oeste – SC. CEP: 89900-000 Telefone: (49) 3621-1244

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina